©

~ and reached the great age

E agora eu vejo que não sou mais uma criança, nem um pré adolescente e nem mais um adolescente, agora eu sou definitivamente um jovem com pé na fase adulta. Toda criança ou adolescente almeja fazer 18 anos porque acredita que com isso vai poder fazer tudo, vai estar livre. É tudo um engano, tudo uma jogada… Se você não estiver sua própria renda (diga-se, seu próprio dinheirinho) de nada vai adiantar você ter 18, mas isso não vem ao caso porque eu ja passei dessa fase e aprendi que nada é tão fácil assim. Agora estou eu com meu pé nos 21, a idade que sempre almejei, a idade que eu quis fazer desde quando me entendo por gente.

Claro que você vai se perguntar porque eu queria chegar nessa idade mas pode deixar que explico. Eu queria fazer meus 18 como qualquer outro mas quando cheguei nos meus 17 eu saquei que não iria mudar nada, seria apenas mais uma idade, claro que tive minha “liberdade” de poder sair sem precisar ficar falando pros meus pais mas isso não é nada quando se tem que ficar pedindo dinheiro pra eles, então nada mudou. Fiz meus 19 e veio o primeiro emprego, meu próprio dinheiro e agora eu almejava minha liberdade, mas do que adianta ter o próprio dinheiro, a liberdade de comprar o que quiser mas não ter responsabilidade? Pois é, nunca procurei ter responsabilidade nessas coisas porque eu sabia que eu tendo meu dinheiro e meu pedaço de liberdade não seria nada enquanto eu ainda dependesse dos meus pais, eu ainda tenho meus pais “passando a mão na minha cabeça”, o que eu quero dizer com isso? eu não tenho independência, e do que adianta ser maior de idade e não tem independência? Pois é, não adianta de nada. E ai entrei na casa dos 20, minha liberdade estava concluída, me sinto 100% livre pra fazer o que quiser, meus pais não ficam mais na minha cola, mas ainda falta algo, sim minha independência! Agora vem a parte do porque eu querer meus tão sonhados 21 anos, porque é a idade que eu prometi pra mim mesmo que iria correr atras das minhas metas e da minha independência, correr riscos, me jogar no mundo como muitos falam.

Eu sei que ainda não sou adulta, não tenho maturidade de alguém de 25+ mas busco sempre aprender mais e agora na casa dos 21 eu vou correr atras disso, farei promessas que consigo cumprir e dar um passo de cada vez. É a época de ser feliz, de ralar duro, de perseverar mais, quero chegar nos meus 26 e falar “pronto, conclui minha meta principal”. É a hora de me aventurar mais, focar mais em mim mesmo. 

E que venha a vida agora, eu não tenho medo mais.

jmihelic:

Digimon Frontier Evolutions

wickedtitania:

Today, Security camera clips that make the news usually show bad things, but here, Coke decided to “look at the world a little differently” in this heartwarming viral video. People stealing kisses, harmless soldiers, music addicts, honest pickpockets and potato chip dealers. Love, Attacks of friendship, friendly gangs and kindness. Unexpected firemen, rebels with a cause and peaceful warriors. A lot of crazy people, and a few heroes. 

…fico enrolando pra fazer alguma coisa mas depois que faço me empolgo e quero repetir.

comoeumesintoquando:

image

Game of Thrones cast at the Comic Con panel (2014)

isitweirdthatim:

This will literally make your day

fresnoislife:

Hoje eu quero voltar sozinho (2014)

~being a explorer

Eu sempre tive o espirito de explorador, sempre procurei conhecer coisas novas, aprender coisas novas, lugares novos e pessoas novas, o tempo todo era isso e eu nunca tive medo de tentar ou de arriscar, sempre ia com a fé e coragem. Sempre tive o gosto de ser curioso, de procurar o que eu não conhecia, de explorar meus limites, mas como tudo na vida tem um “porem”, sempre existe os ressentimentos, os arrependimentos e as decepções. Eu confesso que quebro a cara mais que o normal mas eu não me arrependo disso, muito pelo contrario, acho que adquiri a maturidade que possuo através disso.

Meus únicos arrependimentos foram as pessoas que eu magoei através da minha curiosidade e pela minha vontade de conhecer o novo, era sempre a mesma linha: eu conhecer, explorar, cansar e pular para o próximo como se fosse algo comum, mas na verdade eu tenho que admitir, na minha cabeça isso era comum porque quando você tem a mente cheia você precisa “esvaziar” ela pra algo novo entrar e era isso que eu fazia e nem me tocava que eu magoava alguém fazendo isso. Eu não quero nem imaginar quantas pessoas eu já fiz sofrer por conta disso, quantos “amigos” eu deixei de lado por isso, 1 ou 2 eu tenho certeza que não é.

Acho que eu cheguei na época que eu preciso parar um pouco, o mundo não precisa girar tão rápido assim, há tempo pra tudo e eu tenho que aprender a obedecer ele. Vou dar um tempo na questão de procurar o novo e me abrir para explorar de novo o velho, acho que deixei coisas valiosas para trás e preciso resgatar tudo isso, mas claro, obedecendo o tempo de cada um.